O que é a nova liga?

O que é a nova liga?

O que é a nova liga de futebol

Os 25 clubes das Séries A e B que não aderiram à Libra (Liga do Futebol Brasileiro) formalizaram nesta terça-feira a criação de uma outra associação com o nome Liga Forte Futebol do Brasil. O objetivo é fazer negociações em bloco e, mais adiante, buscar o consenso para formação de uma liga única.

Qual é a nova liga

A Liga do Futebol Brasileiro (Libra) é formada por: Flamengo. Corinthians.

  Quem ganhou a final do basquete feminino?

Como funcionará a nova liga do Brasil

A proposta que será levada aos dez que já aderiram à LIBRA (Botafogo, Bragantino, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Ponte Preta, Santos, São Paulo e Vasco) é de divisão do dinheiro em 45% de forma igualitária, 25% por desempenho esportivo e 30% por audiência.

O que é a Libra nova liga

O bloco atual da Libra é formado por: Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Guarani, Ituano, Novorizontino, Palmeiras, Ponte Preta, Red Bull Bragantino, Santos, São Paulo e Vasco.

  Qual é o signo da China?

Como vai funcionar a libra

Na tentativa de acerto, a Libra define a manutenção de 40% da receita igualmente entre todos os participantes da competição, 30% de variável por performance e 30% por engajamento, mas só se as receitas se mantiverem até R$ 4 bilhões.

O que é Liga de Clubes

Na verdade, a Liga de Clubes, como sugere o termo, é organizada pelas próprias equipes. Dessa forma, ela é independente da CBF e representa uma certa ruptura com a entidade máxima do futebol brasileira na questão da organização do campeonato nacional.

  Quais serão as semifinais da Europa?

O que é forte futebol

A proposta do Forte Futebol é de que se chegue a uma divisão em que a relação máxima entre o clube que mais ganha e o que menos ganha é de 3,5 vezes. Para isso, sua previsão é de uma divisão com 45% da receita dividida igual, 30% por performance esportiva e 25% por engajamento de torcida.

Como será a libra futebol

Na tentativa de acerto, a Libra define a manutenção de 40% da receita igualmente entre todos os participantes da competição, 30% de variável por performance e 30% por engajamento, mas só se as receitas se mantiverem até R$ 4 bilhões.